Blog

O fascinante mundo das Gueixas

Você certamente já ouviu falar delas. Maquiagem facial branca, quimonos floridos e ricamente estampados, além dos tradicionais tamancos japoneses. As gueixas sempre foram motivo de curiosidade e fascínio no Ocidente, inclusive entre os próprios japoneses. Seu mundo reservado e exclusivo é cercado de mistérios, carregando uma tradição que já dura mais de 200 anos. No post de hoje, vamos falar um pouco delas, vamos lá?


blog-misaki-gueixa-dois


As gueixas são essencialmente artistas, cujo trabalho é entreter convidados em ambientes glamorosos e super exclusivos. Embora desfrutem desses privilégios, ser uma gueixa também envolve trabalho duro, com anos de treino nas artes da dança, canto e da música. Elas começam seu estágio de aprendizado como uma maiko, tornando-se geiko (gueixa em japonês) após este período de preparação.


blog-misaki-gueixas


Ainda como maikos, estas mulheres costumam atender em casas de chá (as ocha-yas), onde conhecem as pessoas mais ricas e influentes do Japão. Nessas ocasiões, as gueixas servem bebidas, conversam assuntos triviais, cantam, dançam e tocam instrumentos tradicionais japoneses como o shamisen. É muito comum, principalmente no Ocidente, que as gueixas sejam confundidas com prostitutas de luxo, o que não é verdade, já que o sexo não está envolvido nas funções desempenhadas por elas, e caso o cliente espere algo mais do que apenas um bate papo, as gueixas impõem seus limites sem serem desagradáveis.


blog-misaki-gueixas-três


Há poucas gueixas no Japão atual, e as comunidades mais tradicionais se concentram na cidade de Kyoto, principalmente no distrito de Gion. No mês de abril, o público em geral pode apreciar a arte dessas mulheres em festivais como o Miyako Odori, que acontece há mais de 140 anos e conta com apresentações de canto e dança com cerca de uma hora de duração.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>